Juazeiro, Bahia

Nos bairros de Itaberaba e Mandacaru, o projeto conseguiu reduzir a população selvagem do Aedes aegypti em até 99%

Localizada no norte do interior da Bahia, à margem do Rio São Francisco e na divisa com Pernambuco, Juazeiro possui cerca de 218 mil habitantes. O clima da cidade é semiárido e o Aedes aegypti pode ser encontrado ali o ano todo, apesar de ser mais abundante ao longo da estação chuvosa, que vai de novembro a abril.  Em 2011 foi iniciado um projeto de controle da população do Aedes aegypti selvagem na cidade. Com recursos da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB), o trabalho foi realizado pelo Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo (USP) e pela Moscamed com o apoio técnico da Oxitec. O Aedes do Bem™! foi utilizado em dois bairros da cidade: Itaberaba e, posteriormente, Mandacaru.

93%

de redução da população de Aedes aegypti selvagem

Bairro de Itaberaba

Período do projeto: maio de 2011 – outubro de 2012

Situado na região sudeste de Juazeiro, Itaberaba tinha uma população de aproximadamente 908 moradores em maio de 2011, quando o projeto começou na região. O bairro de 5,5 hectares foi o primeiro local do país a receber o Aedes aegypti geneticamente modificado da Oxitec, conhecido popularmente como Aedes do Bem™!. Na primeira etapa do estudo, o objetivo era estimar a população e conhecer os criadouros e espécies de mosquitos que vivem naquela região. Com esses dados em mãos, os cientistas calcularam a quantidade de mosquitos que deveriam ser produzidos para a etapa de supressão da população selvagem do Aedes aegypti. Nessa fase, o Aedes do Bem™! foi liberado pelo bairro para encontrar fêmeas selvagens e gerar descendentes que morrem antes de atingir a idade adulta. Ao fim do projeto, em outubro de 2012, a população do mosquito transmissor da dengue, Zika e chikungunya tinha sido reduzida em 93%.

Bairro de Mandacaru

Período do projeto: março de 2012 – dezembro de 2013

Ao contrário de Itaberaba, que faz parte da zona urbana de Juazeiro, Mandacaru é uma vila rural, com uma ocupação populacional menos densa que a do outro bairro: na época do projeto, 2.790 pessoas estavam distribuídas pelos 37 hectares da região. Devido ao relativo isolamento geográfico do local, a migração do Aedes aegypti selvagem foi considerada baixa: ao longo de sua vida, o mosquito não circula mais que 200 metros e Mandacaru está a cerca de nove quilômetros do centro de Juazeiro. Os resultados obtidos em Mandacaru foram ainda mais consistentes que os de Itaberaba – o nível de supressão do mosquito no bairro chegou a 99%. Esse número demonstra que liberações contínuas do Aedes do Bem™! podem ser uma ferramenta altamente efetiva na redução das populações do mosquito da dengue – e que esses números podem ser ainda mais expressivos quando as liberações acontecem em áreas isoladas.

99%

de redução da população de Aedes aegypti selvagem